Volto para o Pai, volto para o amor.

março 24, 2017 6:12 pm Publicado por Deixe um comentário

O amor é uma pessoa, em I Joa 4, 16 diz: “Deus é amor”. Agora sim respondemos aquela pergunta. O amor é uma pessoa: Deus. E partindo desse entendimento compreendamos que este Deus que é amor não sabe fazer outra coisa a não ser te amar. Deus criou cada um de nós do seu transbordamento de amor. E é para o amor de Deus que devemos voltar e permanecer. As experiências de desamor, ilusões românticas, te conduziram para o não crer no amor de Deus.

site_-2

Qual seria sua definição de amor? Alguns diriam: Ah! É um sentimento, é algo que eu só sei sentir, não sei explicar, é aquilo que eu sinto pelo meu namorado (a), é uma paixão aprofundada, é um valor humano. Você pode até ter dado uma explicação que eu não tenha citado aqui. Entretanto nenhuma dessas ou aquilo que você tinha antes como conclusão para o amor, não deduz na realidade o que seria. Na cultura de hoje o ato de amar está sendo banalizado e reduzido a qualquer coisa pelas pessoas que declaram seu amor (e até gritam: eu te amo!) em um dia e no outro traem, decepcionam, frustram… e aqui não trato deste ato de amor falho não somente relacionado a um casal além disso ao meio familiar, entre amigos, a todo relacionar-se humano. Entenda o amor não é e nem estar nessa pequenez e incoerência de amar.

O amor é uma pessoa, em I Joa 4, 16 diz: “Deus é amor”.  Agora sim respondemos aquela pergunta. O amor é uma pessoa: Deus. E partindo desse entendimento compreendamos que este Deus que é amor não sabe fazer outra coisa a não ser te amar. Deus criou cada um de nós do seu transbordamento de amor. E é para o amor de Deus que devemos voltar e permanecer. As experiências de desamor, ilusões românticas, te conduziram para o não crer no amor de Deus. Porém hoje você é chamado a não apostar, jogar suas fichas em um amor qualquer mais sim a sem medo abrir o seu coração ao único e verdadeiro amor que te dar todas as garantias de que é um amor sem falhas porque Deus é perfeito e para sempre porque: “ O Senhor é um Deus eterno (Isa 40,28).

Em Lucas capítulo 15 encontramos a Parábola do filho pródigo, sei que você já pode ter escutado ou até lido, mesmo assim vamos partilhar sobre esta passagem, pois a palavra de Deus nos concede uma riqueza inesgotável. O filho pródigo (no dicionário pródigo quer dizer esbanjador, dissipador) então este filho mais novo decidiu sair do convívio do Pai do amor que o pai lhe dava e esbanjou e não somente uma herança material mas também sua própria vida, gastando-a nas coisas que passam. Todos nós somos nascidos do Pai e gerados em seu amor, Ele nos amou primeiro e quando nos distanciamos de Deus nos afastamos do seu amor. Não importa quanto tempo você esteve longe, é hora de voltar. Quando este filho reconhece que está longe do seu pai, longe do seu amor, decidi voltar. O Senhor é um Pai amoroso para com os seus, então, deixe que Ele te abrace, deixe que Ele te beije, deixe que Ele te der vestes novas.

Para muitos é mais fácil conviver com as fraquezas e ficar se lamentando do que admitir que o Senhor está nos concedendo uma nova chance, a oportunidade de fazer diferente. Contudo, o que é mais difícil? Encarar o olhar e o julgar das pessoas ou perder a oportunidade de viver a felicidade que não passa e conquistar o céu? Se somos ruins, pecadores…? Isso o Senhor já sabe, aliás, Ele sabe de tudo, Ele é onisciente. Então o que nos resta é aproveitar no nosso hoje a graça de viver perto do Nosso Amado Jesus, perceber o seu amor transformando os velhos hábitos em novas atitudes.  Pois o Senhor não nos fecha as portas da felicidade.

 

Jéssica Costa – Consagrada a Comunidade Kadosh