Sexualidade ordenada como promessa de Deus.

maio 2, 2017 5:10 pm Publicado por Deixe um comentário
_MG_2207

Muito mais o que uma promessa, a sexualidade ordenada é um projeto de Deus para a vida de cada um de nós.

A sexualidade é fundamental dentro dos planos de Deus para nós, por isso não pode ser tratada como algo distante de nossa realidade. Ao olhar apenas no âmbito carnal do assunto, que é apenas um dentre outros, esquecemos que falar sobre sexualidade é abordar um assunto que permeia tod a condição humana de todos os homens e mulheres.

Embora pareça algo completo de se entender, a própria Igreja nos apresenta meios pelos quais seremos capazes de alinhar nossa sexualidade de acordo com os planos de Deus, o Catecismo da Igreja Católica (parágrafo 2332) nos diz que a sexualidade afeta todos os aspectos da pessoa humana, particularmente a afetividade, capacidade de amar e procriar e, de maneira geral, criar vínculos de comunhão com o outro. O que ganha sentido também pela palavra que encontramos em 1 João 4:8, onde afirma que quem não conhece a Deus não ama, pois Deus é amor, e como é relatado no livro de Gênesis (Gn 1:27), nós fomos criados à imagem e semelhança Dele, portanto, criados para amar.

Um conceito que também nos ajuda neste entendimento vem do estudo da Psicologia, onde se diverge dois tipos de amor, o afetivo e o efetivo. O primeiro está relacionado à demonstração de carinho por alguém, afeto; e o segundo diz respeito ao comprometimento e a capacidade de esquecer-se de si para se dedicar ao outro. Trazendo para nossas realidades, somos chamados a viver a afetividade em nossas amizades, por exemplo, nos levando ao bom relacionamento com os nossos amigos. É assim que entendemos que a sexualidade vai além da forma carnal, e se torna uma maneira de expressar nossos sentimentos.

A família tem um papel muito importante na sexualidade, uma vez que inseridos no contexto familiar aprendemos a vivê-la bem. As referências que absorvemos em nossas casas se tornam exemplos de conduta, seja na figura materna ou paterna. A carência de amor familiar tende a fragilizar a maturidade emocional e desencadear carências, que tentaram ser supridas por relacionamentos amorosos desenfreados e sem conexão verdadeira entre o casal, trazendo resultados ainda mais danosos. Uma sexualidade vivida fora dos planos de Deus ocasionará certamente desordens em diversos segmentos de nossas vidas, que somados a uma busca errônea pelo preenchimento de nossos corações através de prazeres do corpo causaram feridas dolorosas. É preciso entender que, o sentimento de completude só é possível quando nos permitimos tocar o amor do próprio Deus, que sondando e conhecendo nossos corações será capaz de restituir as brechas existente ao mesmo tempo que nos guiará em um caminho de autoconhecimento.

Se você quer ser feliz, viva os projetos de Deus, viva a vontade Dele.

Júlio César, coordenador da RCC de Fortaleza.
Pregação do Congresso Jovem IMERSÃO.